Arquivo da tag: Crítica

Sinais

Sinais de vida inteligente.

Continuar lendo Sinais

O Escorpião de Jade

O investigador que investigava a si mesmo

Continuar lendo O Escorpião de Jade

Star Wars Episódio II: Ataque dos Clones

Muita indústria, pouca mágica.

Continuar lendo Star Wars Episódio II: Ataque dos Clones

O Homem Que Não Estava Lá

Força de expressão

Continuar lendo O Homem Que Não Estava Lá

O Quarto do Filho

Crônica do luto.

Continuar lendo O Quarto do Filho

Trapaceiros

A vez dos outros

Continuar lendo Trapaceiros

Um senhor filme

O Senhor dos Anéis é uma fantasia que faz jus à obra que lhe deu origem

Continuar lendo Um senhor filme

“O IMPERADOR E O ASSASSINO”: TUMULTUADO E COMPLICADO COMO A GUERRA

Passado no século III a.C., o épico de Chen Kaige pode ser entendido como uma parábola sobre a ascensão de Mao Tsé-tung

Em O Imperador e o Assassino (Jing Ke Ci Qin Wang/The Emperor and the Assassin, China/França/Japão, 1999), o diretor chinês Chen Kaige parte de um episódio histórico real e supera até seu trabalho mais célebre, Adeus Minha Concubina, de 1993. No século III a.C., o rei Ying almeja unificar a China e tornar-se seu imperador. Para tanto, manda sua mais querida concubina (a bela Gong Li) contratar um matador. O objetivo é forjar uma tentativa de assassinato: salvando-se, o imperador parecerá invencível a seus inimigos. Só que o soberano se torna cada vez mais truculento, o que enche a concubina de repugnância. Pior: ela se apaixona pelo assassino (Zhang Fengyi, excelente). O filme não é fácil de acompanhar, mas cresce em interesse a cada minuto. Visualmente, é um espetáculo, tão estranho quanto opulento. E, por fim, pode ser entendido também como uma parábola sobre a ascensão do líder comunista Mao Tsé-tung.

Poucas e Boas

Eco ao ego

Continuar lendo Poucas e Boas

Corpo Fechado

Do além ao aquém.

Continuar lendo Corpo Fechado