divulgação

O Pequeno Príncipe

Até (ou principalmente) para quem não é fã do livro

Já vou admitindo que nunca fui fã do livro de Antoine de Saint-Exupéry – nem quando era criança.

Mais me surpreendeu ainda, portanto, o quanto gostei desta animação de produção francesa e direção do americano Mark Osborne, de Kung Fu Panda: em vez de se fixar na noveleta de Saint-Exupéry (publicada em 1943, um ano antes da morte do aviador e escritor), ele a utiliza como uma história dentro da história, apenas. O enredo que sustenta o filme é o da Garotinha, que tem de mudar de bairro para poder frequentar a mais puxada escola da cidade e assim se tornar um adulto tão eficiente quanto a sua eficientíssima mãe. Para ter certeza de que a filha vai se preparar conforme o necessário durante as férias de verão, sua mãe monta uma gigantesca planilha na parede da sala da nova casa, com todos os dias divididos minuto a minuto entre as atividades a que a menina deve se dedicar. Mas na casa ao lado há um tipo de distração que a Garotinha nunca conheceu antes na vida: um adulto com tempo de sobra para ela.

divulgação

A mansão em ruínas do vizinho velhinho é cheia de recantos e de objetos curiosos, seu quintal é uma bagunça deslumbrante de árvores, flores e mato e há ainda ali um teco-teco que o Aviador, como é chamado no filme, vive tentando consertar. Em dois tempos a Garotinha já nem lembra mais dos cadernos: só quer saber de passar o dia com o Aviador, ouvindo as histórias de como ele caiu com seu avião no deserto e lá conheceu um menino vindo de um planeta minúsculo etc. etc. – o Pequeno Príncipe.

divulgação

O visual, lindo, alterna animação digital com um dos trabalhos de stop-motion mais originais que já vi: toda a parte do Pequeno Príncipe é feita em papel, com dobradura, recorte, colagem e papiê-machê, sempre reproduzindo o traço e as cores das ilustrações de Saint-Exupéry. A trilha é uma beleza. Mas, como costuma ser o caso nos bons desenhos animados, o melhor de tudo é o roteiro, que homenageia o livro sem se apoiar no que seria uma base frágil demais para um longa-metragem.


Trailer


O Pequeno Príncipe
(Le Petit Prince / The Little Prince)
França, 2015
Direção: Mark Osborne
Distribuição: Paris Filmes

Uma consideração sobre “O Pequeno Príncipe”

  1. Animação linda e que merece ser lembrada na temporada de prêmios.A relação entre a menina e o velho é muito bonita.É o final é emocionante:uma estrela que jamais será esquecida

    Curtir

Deixe uma resposta para Paulo Ricardo Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s