divulgação

Batman vs Superman: A Origem da Justiça

Está quase tudo no lugar certo. Só faltou o Christopher Nolan na direção


Veja aqui a vídeo-resenha

53 comentários em “Batman vs Superman: A Origem da Justiça”

  1. http://isabelaboscov.virgula.uol.com.br/index.php/2016/03/23/batman-vs-superman/

    Somente ao lermos o ensaio de Boscov na revista Veja é que ficamos sabendo no que afinal o diretor Zack Snyder deveria se concentrar: as atuações de Ben Affleck e Jesse Eisenberg e as muitas idéias sagazes, adultas e pertinentes do cinema de Christopher Nolan e de David S. Goyer — e que faltam a quase todas as outras franquias de super-heróis, sendo o seu único rival á altura os X-Men de Bryan Singer.

    Tendo em vista que Nolan e Goyer são conservadores, então se torna claro o raciocínio lógico da abordagem deles no universo do Super-Homem.

    Na trilogia Batman, os vilões são revolucionários terroristas que se coroam como os juízes e carrascos da civilização ocidental “decadente e corrupta” e tentam “purificar o mundo” queimando cidades inteiras, de Atenas, Roma e Constantinopla a Nova York / Gotham City, numa sentença de morte a uma sociedade “apodrecida demais para ser curada” — o terceiro filme faz uma analogia explícita aos julgamentos do Reino de Terror jacobino, com os criminosos psicopatas batendo o martelo e condenando os policiais á morte num tribunal.

    No filme anterior do trio Goyer / Nolan / Snyder, Homem de Aço, notei que o lance mais inteligente no argumento foi o de apresentar essa analogia: o mundo de Krypton era uma sociedade tão limpa, perfeita, organizada e planejada que se tornou totalitária: antes mesmo de nascer, cada indivíduo já era programado para o emprego que ia exercer na coletividade. Soldados, por exemplo. Em nome da evolução, abandonaram toda a moralidade. E eram uma civilização tão mais avançada que as outras que os kryptonianos se achavam uma raça superior. Eram bons para seus semelhantes, mas desprezavam as vidas dos diferentes. Um planeta inteiro de super-nazistas. A conseqüência final dessa cultura seria os militaristas metidos a salvadores da sociedade partirem para o genocídio.

    Em seguida, neste Batman vs Superman, temos os conceitos expressos no ensaio que completa o vídeo nesta página, no texto na revista Veja:

    “A idéia sagaz de que a paranóia e a desconfiança geram monstros ainda piores que os seus temores. A maior ameaça é a de alguém capaz de manejar as angústias coletivas e individuais, abrindo espaço para algo infernal. Um fanático que se crê de pose de uma Verdade e quer purgar a Humanidade de tudo o que julga errado, falso e defeituoso.”

    Creio que a escolha de Eisenberg e a caracterização do personagem Lex Luthor como um jovem espalhafatoso, frágil e aparentemente inofensivo são a encarnação do que Nolan mais teme na juventude de hoje e na nova geração de pretensos revolucionários mimados, ressentidos e megalomaníacos que desde Karl Marx querem transformar o mundo sem antes entendê-lo.

    Ou seja: a idéia central que gira como o eixo de toda a obra cinematográfica de Christopher Nolan em sua adaptação dos quadrinhos de super-heróis é nos lembrar esse fato histórico e sempre atual de que os maiores inimigos da Humanidade são os seus auto-proclamados salvadores infinitamente arrogantes: comunistas, nazistas, islamistas. Mais do que adaptar os personagens das revistinhas infantis, o que ele faz é usá-los como a melhor metáfora ideológica, permeando as 3 correntes principais da palavra IDEOLOGIA: política, religião e filosofia.

    Curtir

  2. Isabela, concordo em quase tudo, mas dois pontos não, um deles é o Snyder. Acho que os poucos problemas do filme não foram culpa dele, mas de uma pressa no roteiro em resolver alguns pontos e um pouco de violência no que se refere a mortes. Visualmente e o ritmo do filme estão bons, trouxe uma originalidade em relação aos outros filmes de super-heróis em relação ao tom.
    Pra exemplificar, vou compar a minha percepção em relação ao segundo Vingadores, que tinha uma trama tão intrincada quanto… BvS eu assistiria por opção, gosto… O Avengers dois, por obrigação pra ver o que vem a frente.

    Curtir

  3. Assisti ao filme hoje com minha esposa. Ela não lê quadrinhos, mas me acompanhou por conta da curiosidade que também ficou a respeito desse filme, dada a grande polêmica. Eu disse a ela: “vamos sem muitas expectativas porque há críticas severas ao filme, dizendo que a edição é horrível, que a narrativa é confusa, que é um ‘transformers da DC’ ” , etc, etc. Ao final do filme ela se virou para mim e disse: “é um filme tenso, mas de uma tensão que não deixa a gente desgrudar da história”. Bem, faço dela a MINHA opinião. O filme é excelente, traz questionamentos muito interessantes sobre Deus, poder, bondade, esperança. Não dá a história de mão beijada, exigindo um pouquinho do espectador para montar a trama, uma vez que as peças da mesma são apresentadas como um pequeno quebra-cabeça. Mas digo, que não é nada difícil de montar e acompanhar. Não há comédia (fora uma ou duas pequenas cenas) e o próprio tom do filme pouco autoriza isso. Mostra a que veio, preparando terreno para os outros filmes da DC e dando a entender que estarão conectados em uma história muito maior. Apresenta um Batman que retorna às origens do personagem nos quadrinhos: um Batman com uma arma na mão e muiitttooo violento. Por outro lado, nos apresenta um Super-Homem tomado em dúvidas quanto a seu papel frente à humanidade que o ama e odeia. Há uma narrativa muito bem construída no meu entender, que está a anos luz de Transformers :-). E posso ousar dizer que gostei muito mais deste filme do que mesmo de “Star Wars: o despertar da força”, que, para mim, apenas repetiu a fórmula de “Uma Nova Esperança”. Quanto a Batman vs Superman, além de várias referências aos quadrinhos, respira ousadia e novidade; arrisca; incomoda no risco, mas é, no meu entender, uma obra para a qual vale a pena tirar o chapéu.

    Curtir

    1. Isso mesmo, Eduardo. Batman x Superman é um dos melhores filmes que já tive o prazer de assistir, e com diversos subtextos que o enriquecem ainda mais. Fantástico! Os críticos têm a obrigação de se explicarem melhor a respeito dessas opiniões tão estranhas à respeito da obra (com exceção da Isabela, pois embora discorde dela quanto ao que foi dito sobre o Zack Snyder, no demais considero sua opinião sensata). Os argumentos contrários não têm sido bem embasados. Fui ao cinema ciente das críticas à respeito e imaginando que poderia não gostar tanto assim do filme. No entanto, depois do desserviço prestado por alguns que o atacaram tão enfaticamente, durante toda a projeção ficava me questionando quando é que viriam os supostos “momentos ruins” do filme que, segundo a crítica, eram inúmeros. A hora passou que nem senti. Clube da Luta, Psicose e Blade Runner são alguns exemplos de obras que foram atacadas pela crítica quase que gratuitamente, e posteriormente, ao serem revistos, tiveram seu valor reconhecido e tornaram-se obras-primas do cinema. Guardadas as devidas proporções, creio que ocorrerá algo semelhante com Batman x Superman, para o bem de todos nós que apreciamos uma sétima arte de qualidade.

      Curtir

    2. Eduardo Simonini, você escreveu a melhor crítica do filme. Perfeito! O filme “respira ousadia e novidade; arrisca; incomoda no risco…” E incomoda muito, pelo que estamos vendo.

      Curtir

  4. Filme excelente. Nota 9,0. Melhor filme de heróis já produzido. Superou o então melhor Batman: o Cavaleiro das trevas, do Nollan. Não foi uma comédia forçada com heróis e nem cansou a platéia com explicações. Não entendeu isso ou aquilo? Recorra às HQs. Ponto. A direção respeitou a capacidade intelectual do público, mesmo o mais jovem, que é capaz de se emocionar, entretar, intrigar, envolver e excitar com uma película mais madura e complexa. Que venha a Liga!

    Curtir

  5. Nao vi o filme mas dizer que faltou Christopher Nolan é demais..
    Christopher Nolan é a razao que Zack Snyder esta no filme, o Zack tem a visao e direcao de cenas de acao muito mais amplas que o Christopher..
    David Goyer fez o que Christopher faz de melhor, da essencia aos personagens, explora o lado, os conflitos e a uma proporcao de realidade que aconteceriam caso esses personagens de quadrinhos vivessem num mundo real. A Marvel copia isso! Tanto que em Guerra Civil eles querem controlar os super herois, como e quando devem usar seus poderes.

    Entao nao faltou Christopher Nolan, ele plantou Man of Steel e deixou que o Zack cuidasse do resto.

    Curtir

  6. Só uma observação, os trailers entregam 90% do filme e para quem leu os arcos e viu as animações, parece estar vendo um live action.
    E mais uma coisa, para alcançar a Marvel, vão ter que correr muto.
    O filme é muito bom, mas não me empolguei.

    Curtir

  7. O filme é sensacional, sai do cinema e já comprei a próxima entrada, que será amanhã é claro, críticas sempre existirão, isso é normal, mas o filme é espetacular.

    Curtir

  8. A visão dela que não é fã foi corretíssima no que falou. Como eu não tinha muita expectativa neste filme, uma vez que mostram muita coisa nos trailers que acaba tirando um pouco da descoberta que sempre é bem vinda em filmes adaptados achei a mesma coisa…. Um filme feito pra fãs…já no caso do diretor achei que ela esta um pouco enganada ele conhece bem o universo da DC e na minha opinião fez um bom filme, só isso.

    Curtir

  9. É como todas criticas rasas,sem analisar todo o contexto dos personagens,não só para esse filme e para todos os futuros filmes sobre super heróis que irão assistir,leiam quadrinhos ou vejam uma animação vai melhorar e muito os argumentos.O FILME FOI MUITO BOM

    Curtir

  10. Esse filme foi muito ruim, e nao sei o que os devotos da DC estao falando, passou longe… so pq batman enfrentou Superman? So pq do Doomsday? Ora filme muito primitivo na narrativa, uma luta comeca e termina sem pe nem cabeça… alias 85% da luta foi o trailer. Inserção dos personagens da liga? Fala serio, parece que o luthor joker fez o papel de nick fury. O filme é bacana, nada demais, espero que a continuacao seja melhor, ja que contara com 2 histórias paralelas.

    Curtir

  11. O batman mais burro da história, conta de um roteiro sofrível, cheio de dialogos que tantam parecer profundos mas são ultra rasos, como a conversa do superman com o pai, o a narracao do batman sobre a raça humano no fim do filme. O maior detetive da Terra não questiona como um homem sem recursos causa aquela explosão toda, e perde completamente a cabeça a qualquer citação a sua família, especialmente a mamae, virou um peão de um plano bobo do vilão… o filme tem seus acertos, mas…

    Curtir

    1. O Batman queria destruir o Superman. O Lex só botou lenha na fogueira, mas mesmo sem o Lex ele faria o mesmo. Os dialogos não tentam parecer profundos, eles são mais profundos do que qualquer outro filme de superherói! Se no trailer já temos alguns vislumbres, no filme ele é recheado de literatura e arte.

      Compara com os dialogos de Ant Man:

      – Como vai sua esposa?
      – Ela me deixou… Minha mãe morreu… E meu pai foi deportado… Mas fiquei com a van! (abre sorriso)

      Perto disso, BvS parece um ensaio de Nietzsche sobre superheróis.

      Curtir

    2. Achei super fraco o filme e o roteiro, Mulher maravilha nada a ver na história, o Batman odiar e querer matar o superhomem, de repente, na hora de finalizar ele escuta o nome da mae e tudo muda de repente, viram melhores amigos…me poupe, esse monstro no final nascido da criação do Luthor, outro vilao super fraco, nada a ver… DC tá aléguas de distancia da Marvel, filme super fraco, abusa da nossa inteligencia.

      Curtir

  12. Certa vez vi uma crítica, na seção de Cinema, de VEJA, que me marcou: “Não, não é uma bomba!”, era o título da análise da colunista Isabela Boscov sobre… “Missão Impossível 3”! Sim, ela tecia elogios indecoroso ao longa – acho que era por ser fã do superestimado J. J. Abrams – que foi, de longe, o pior de toda a série estrelada por Tom Cruise – alguém sabe o que é o “Pé de Coelho”? Nem vou falar das demais críticas bizarras da colunista. No entanto, ao ler Christopher Nolan vem-me à cabeça a teoria de que o diretor britânico é fervoroso fã de queijos suíços, cujos buracos são preenchidos por fãs que se acham inteligentes.

    Um exemplo? “Batman 3”. Eis um filme que só funciona com um sistema de som parrudo, pois, sem isso, você não tem acesso ao melhor do filme, a trilha constante, e passa a perceber as falhas grotescas – um vilão que vira cadelinha, no final; um clima de paz, na cidade, que se liquefaz depois do discurso de um doido, toda a força policial enviada para um único lugar, um lago de gelo que afunda qualquer magrelo, mas que suporta o peso do Batman, motos que invadiram uma bolsa de valores, mas que ninguém percebeu… por aí -do longa.

    Tire o poder da trilha constante de Nolan, e veja 85% de suas qualidades irem para o buraco – de um belo queijo, se possível.

    Curtir

  13. Assisti o filme ontem, e realmente gostei do que vi, passa bem tudo da DC e mostra que em um futuro breve MARVEL e DC irão duelar por quem fará os melhores filmes, estava na hora da DC acordar..relutei um pouco no começo em pensar no Ben como Bruce….mais no final das contas não ficou tão ruim no papel do morcego…gostei bastante do filme é interessante e realmente pra quem conhece a DC já nota muitas coisas em comuns com os quadrinhos e os jogos!

    Curtir

  14. Entende muito de cinema e muito pouco sobre o universo da DC que não se resume ao cinema e televisão. Se não for fã da DC Comics e assistir o filme a pessoa terá a mesma opinião da jornalista. Snyder provou que lê os quadrinhos, assisti aos desenhos e que jogou muito Injustice God Among Us. A frase mais icônica do filme para quem curte este universo foi “Bruce, você tinha razão sobre ele. Louis é a chave”. Quem jogou Injustice entenderá isto no filme. A jornalista fez uma análise do filme, mas sem ter conhecimento do universo DC. O filme entrega o que está nos quadrinhos e nos games, faltou alguns detalhes, que não prejudicam em nada o filme. É meio atropelado pois são duas adaptações dos quadrinhos com uma puxada de um jogo da DC. Se tem o Apocalipse então quem lê quadrinhos já sabe o que esperar e se tem Batman vs Superman também já sabe quem vai ganhar. Filme feito para os fãs com apelo de tudo que os fãs queriam ver. A crítica aqui mostrou que viu o filme e que não conhece nada sobre o universo DC. Antes de fazer uma critica destas é bom olhar para tudo que existe no universo DC, se não a crítica sai muito pobre e sem fundamento. Olhando só para o filme a crítica faz sentido, mas o universo em que está contido não pode ser ignorado.

    Curtir

    1. Finalmente um comentário condizente.. aos críticos de internet, recomendo umas leituras no universo DC, antes de virem falar tantas bobagens de uma vez

      Curtir

    2. Conheço o universo DC mas sua idéia não faz muito sentido, a idéia do filme é para o público em geral conhecer o universo DC não para os covertidos, é óbvio quem é fã vai gostar do filme, mas para pregar para convertidos não é a melhor estratégia de um filme…

      Curtir

      1. O filme com certeza agradará ao grande público. A idéia é fazer com que o grande público conheça e goste do universo DC. A idéia é adaptar o universo e não criar um novo no cinema para agradar quem não conhece. A jornalista faz uma crítica aos personagens e da estória, mas se você conhece o universo DC verá que temos filme personagens muito parecidos com os quadrinhos e jogos. O fã do universo DC vai entender o que está assistindo, o público em geral pode gostar ou não do filme, mas quem ganha para fazer crítica tem que entender o contexto em que o filme se enquadra para poder falar mal ou bem de um filme. A jornalista falou do filme e ignorou todo contexto em que ele está inserido, de quadrinhos e games. É uma adaptação, não tem como um crítico de cinema ignorar a origem do filme que são as HQ’s e games deste universo.

        Curtir

    3. Nenhum crítico deve pesquisar sobre nada antes de ver um filme. Assim como nenhum crítico deve ler um livro antes de ver uma adaptação literária. Um filme deve funcionar por si só. Totalmente equivocada a ideia de que se deve pesquisar a matéria prima.

      Curtir

      1. A pessoa tem que ter pleno conhecimento do que está criticando e se é uma adaptação então a origem tem que ser considerada. Uma adaptação reflete na obra original. Muitos filmes agora são adaptações e os críticos devem estudar as origens para aperfeiçoamento profissional como todo profissional deve fazer.

        Curtir

      2. Não, Moa. Já pensou se todo crítico tivesse que ler todo livro antes de ver uma adaptação literária? Haja tempo pra ler tudo, tendo em vista a onda de adaptações nos últimos anos.

        O filme deve ser feito de forma que uma pessoa possa entrar na sessão sem saber absolutamente nada e entender claramente o filme. É ridícula a ideia de que alguém deva fazer uma pesquisa antes de entrar numa sala. O filme não deve ser direcionado somente a leitores de HQs, e sim a todos. Fui com minha família e minha mãe achou “confuso”. Não entendeu muita coisa. Nisso, o Batman do Nolan se sai melhor, por exemplo. É um thriller policial, mas que apara todas as arestas. Você não precisa ter lido nada antes de ver o filme.

        Curtir

      3. O crítico de cinema tem que ler sim e muito. O público não não precisa ter o mesmo conhecimento do que àquele que ganha para fazer críticas. O filme tem muitas pontas soltas para o que vem depois. O crítico que leu o material e já tem um conhecimento do universo que está sendo adaptado teria uma visão diferente do que foi produzido. Tem muitos caminhos que podem ser adaptados a partir do filme do BvsS. Sua mãe deve ter ficado confusa, minha mãe teria dormido no cinema pois ela não iria entender nada. Minha esposa ficou boiando, ela não entendeu como um homem pôde desafiar o Super Homem, mas é coisa de quadrinho, não dá para tentar explicar o que muitas vezes não tem lógica. A aparição do flash pode ir por dois caminhos e um seria baseado no jogo Injustice e teriam que fazer pelo menos três filmes só para ir por este caminho. O filme foi feito para os fãs e o público que não acompanha vai ficar perdido. O visual do filme está legal e muito parecido com os quadrinhos. Os próximos filmes vão explicar as pontas soltas. Este filme foi uma leve introdução como se fosse um primeiro capítulo de um livro, mas os críticos olham para o filme e falam mal quando deveriam dizer ao público que este é o início de uma fase e para um início está ótimo. Meio atropelado para tirar um atraso em relação ao concorrente Marvel, mas ainda sim está bom. O Batman ficou ótimo, já o Super Homem ficou legal, mas deve ser muito difícil adaptar um personagem quase indestrutível. A Mulher Maravilha teremos sua origem explicada em um outro filme. Os vilões principais serão apresentados no esquadrão suicida. Ainda estamos sendo introduzidos neste universo, não dá para fazer uma crítica isolada. Se levar sua mãe para ver Guerra Civil, ela ficará perdida igual. Porém se ela assistir aos filmes anteriores da Marvel ficará fácil dela entender. Se o crítico conhecer a base da adaptação poderia explicar melhor na crítica o que está sendo desenvolvido e o que esperar deste universo cinematográfico. A melhor critica até agora foi o veredito do Omelete onde estão os prós e os contra feito por críticos que lêem livros, quadrinhos, vêem jogos e assistem muitos filmes do mesmo diretor para depois terem um parecer sobre o que foi apresentado. A jornalista Isabela deveria fazer o mesmo antes de fazer uma crítica de uma adaptação.

        Curtir

      4. Moa, o que o crítico de cinema tem que “ler sim e muito” é teoria cinematográfica. O crítico não tem que ler Divergente, Maze Runner e Jogos Vorazes. Isso é o trabalho do crítico literário. O crítico de cinema vê o filme e o analisa como obra independente. Seu comentário

        ” O filme foi feito para os fãs e o público que não acompanha vai ficar perdido”

        Discordo. O filme não pode ser feito “só para fãs” porque filme de grande orçamento não pode ser filme de nicho. Caso contrário, ele fracassa na bilheteria. Um filme que custou 250 milhões deve ter um escopo maior: deve tentar alcançar a todos. Prova disso é a adaptação recente de Os Instrumentos Mortais, que é confuso para quem não leu o livro e muitas coisas sem explicação no filme só são explicadas lá no livro. No final das contas, esse filme não vai fracassar porque é sobre Batman e Superman. Isso é o bastante para atrair público.

        “Se levar sua mãe para ver Guerra Civil, ela ficará perdida igual. ”

        Não acho. Ela viu e gostou dos filmes do Homem-Aranha, que são simples de se entender. Agora, nesse outro filme, com todos os sonhos e alucinações, ela ficou confusa. E aposto que as crianças na sala também não processavam direito o que estava acontecendo, não sabiam o que eram aqueles monstros, e apenas se divertiam com a ação.

        “A melhor critica até agora foi o veredito do Omelete onde estão os prós e os contra feito por críticos que lêem livros, quadrinhos, vêem jogos e assistem muitos filmes do mesmo diretor para depois terem um parecer sobre o que foi apresentado.”

        Eles gostaram porque leem HQs e ficou fiel. Agora, deixa eu te falar uma coisa: eles não são críticos de cinema que “correm atrás” da informação, se você quer saber. Na verdade, eles nem são críticos de cinema, eles apenas escrevem a crítica, mas nenhum deles tem essa formação. Segundo, eles não “correm atrás” de nada, eles já gostam de quadrinhos. Mas em outras adaptações de outras mídias, eles não acompanham. Eles não leram Divergente, Crepúsculo e afins, eles não gostam muito dessas adaptações teen pra meninas, não viram a animação O Último Mestre do Ar, inclusive um fã revoltado com a crítica que falava mal disse que eles deviam ver pra entender.

        Curtir

      5. Marcelo, o filme é feito para os fãs você pode arrancar os cabelos de tanto descordar, que a DC Comics está pouco se lixando para nossas opiniões. Muitas crianças não entenderam nada, mas com certeza vão consumir brinquedos, jogos e HQs e se tornarão fãs e irão nos cinemas assistir tudo que sair deste universo. Este é o objetivo principal.

        Eu leio em média 50 livros por ano. Acredito que um crítico tem o dever de ler e pesquisar tudo sobre aquilo que vá criticar. Ou estará falando algo sem pleno conhecimento do assunto. Tem muita gente que lê quadrinhos e acompanha jogos e etc que também não gostaram do filme com razões mais bem fundamentadas.

        Muitos críticos tem formação em jornalismo ou cinema, mas não é um pré requisito para profissão de crítico de cinema. Há muito material na internet para pesquisa que dispensaria um crítico de ler todo material como livros e HQs e jogos. O pessoal lá do omelete tem críticas que eu discordo e outras que concordo. Não os conheço pessoalmente e não sei qual a formação deles para criticarem filmes, livros e jogos. No caso do BvsS o vídeo comentado por três indivíduos ficou bem legal, pois tem o fã que gostou e outros dois que apontaram diversos erros no filme. Não foi uma crítica vazia e sim bem fundamentada.

        Marcelo, eu garanto que você consegue em umas duas horas pesquisar tudo sobre World of Warcraft, além de assistir reviews literários. Quando sair o filme você saberá aproveitar bem o filme e terá propriedade para fazer uma crítica melhor que a jornalista Isabela. Você não precisa virar uma múmia da leitura para entender Warcraft, Assassins Creed e outras adaptações. Umas duas horas de pesquisa resolvem este embaraço.

        Se sua mãe vai entender Guerra Civil só o mês de abril nos dirá. Sua mãe deve ser bem legal. A minha mãe gosta de ver Smurf e Shrek, a sofredora em assistir filmes de heróis é minha esposa que tem pavor do Batman. Porém ela é jogadora de World of Warcraf e tenho certeza de que este filme vai agradar muito e muitas crianças vão fazer seus pais assinarem o jogo. Eu já estou preparando para assinar novamente para minha esposa, pois tenho certeza que ela vai quere voltar a jogar.

        Marcelo, você é um cara bem legal e sabe debater de forma muito agradável. Espero te encontrar aqui na Guerra Civil. Torço para o time do Capitão América e espero que ele não morra no cinema.

        Um abraço.

        Curtir

      6. Só complementando, Moa: se for seguir sua lógica, não existem bons críticos de cinema no mundo. Nenhum crítico no mundo lê todos os livros antes de ver as adaptações literárias. E nem joga todos os jogos antes de ver adaptações de games. A não ser que o dia dele tenha 50 horas. Esse ano vai lançar uma adaptação de Assassin’s Creed. Os críticos devem jogar o jogo antes de fazer a crítica? Vai lançar também uma adaptação de Warcraft. Os críticos devem jogar Warcraft?

        E também, haja sadismo: já pensou se, além de serem obrigados a ver 50 tons de cinza, eles fossem obrigados a ler o livro? Além de ver os filmes Crepúsculo, devem ler os livros também? Não seja sádico, ver os filmes já é tortura o bastante.

        Enfim, escrevi tudo isso pra dizer que obras devem funcionar de forma independente. Crítico de cinema nenhum é obrigado a ler quadrinhos para entender nada. Se você é um diretor e entregou um filme confuso, você falhou. Você não pode argumentar “leiam os livros, seus chatos, as explicações estão lá”. Os filmes do Homem – Aranha são facilmente compreensíveis para quem não leu nada. Agora, se um filme não explica direito o que está acontecendo, ele falhou.

        Curtir

  15. “Só” faltou o Nolan. Bem, é como dizer que “só” faltou farinha no pão. Ele é um diretor sensacional. Todos seus filmes agradam e muito o público (quase a totalidade dos seus filmes são top 250 no imdb). Já o Zack só acertou com 300 e Watchman, e olha lá que não agrada a todos. Sendo baseados em quadrinhos sensacionais.

    Curtir

  16. Me surpreendi com a crítica. Achei o roteiro preguiçoso, bagunçado e cheio de furos. Com cenas sem criatividade tenta criar uma consistência que não vinga, deixando os personagens sem motivações convincentes, e a história sem sentido. A trama fica perdida. O visual do filme cansa. Tanta tentativa de elevar a seriedade e obscuridade, que o visual fica sem vida, cansativo. O final então, um horror. Excesso de CGI que dá aquela sensação de genérico ao extremo. Uma apelação sem fim. A mulher maravilha, que da vontade de ver mais, você nem consegue acompanhar direito, e sua relevância na história foi zero. O desfecho foi absolutamente desnecessário. Só deixa claro que o filme se preocupou mais com a pompa, com o impacto, que de fato em contar uma história.

    Curtir

  17. Escolha acertadíssima da Gal Gadot?
    Nossa, você realmente não sabe diferenciar uma boa e uma péssima atuação.
    Seus comentários de cinema eu não vejo mais, 6 minutos perdidos.

    Curtir

  18. Ótima crítica. Não é o tipo de filme que eu ame, mas vou ver. Uma sugestão: no seu garimpo de filmes, bem que você poderia falar de filmes mais antigos; queria muito saber qual sua opinião sobre filmes como O piano, Thelma e Louise, A época da inocência… dentre outros. Embora quase sempre prefira a sua crítica escrita, gosto muito quando muito quando posta seus vídeos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s