divulgação

Depois da Terra

Pai patrão.

Will Smith acha que pode comprar uma carreira para seu filho.

Que pai não gostaria que seu filho tivesse uma carreira garantida? Mas que filho merece que o pai não só escolha seu futuro, como tente comprá-lo? Tão lindo e promissor aos 8 anos, em À Procura da Felicidade (mas já dando mostras de certa aflição aos 12, em Karate Kid), Jaden Smith, filho de Will Smith e Jada Pinkett, tem todos os privilégios, menos o de crescer, errar e acertar sozinho. Agora, aos 14, ganhou dos pais um filme todinho para si, ao preço de 130 milhões de dólares. Mas um filme ruim, que embala numa história tola os princípios educativos bizarros promovidos pelos Smith, cientologistas enrustidos, e no qual o personagem do menino só vai se safar das armadilhas em seu caminho se obedecer a papai ao pé da letra. Em Depois da Terra, a humanidade teve de abandonar seu mundo e se refugiar numa colônia distante, na qual é ameaçada por feras horrendas chamadas ursas. As ursas são cegas (além de distintamente digitais), mas farejam até o mais ínfimo sinal de medo nos humanos. O general Cypher Raige (Will Smith), porém, é invisível a elas: não tem medo de nada.

Na história inventada por Will Smith e dirigida (se é que o verbo se aplica) por M. Night Shyamalan, contudo, o efeito colateral dessa ausência de temor parece ser a absoluta falta de humor. Cypher é um pai-sargento que se comunica com o filho mediante comandos e pílulas pseudoexistenciais (“o perigo é real, mas o medo é uma escolha”). Quando a nave em que ambos viajam se parte e cai na Terra, cabe ao jovem Kitai (Jaden) localizar a cauda do veículo, a 100 quilômetros de onde eles estão, para encontrar um sinalizador e enviar à colônia um pedido de socorro. Cypher, ferido, fica nos destroços, mas dirige cada passo do filho a distância. Segundo ele, nesses 1 000 anos desde que a Terra foi deixada, todas as suas formas de vida evoluíram para matar os seres humanos (por quê, se eles não mais vivem nela?). De forma que, quando as comunicações são cortadas, Kitai acha que vai morrer no planeta inóspito – mas então se lembra das lições que o pai martelou em sua cabeça e prevalece. Nos planos do casal Smith, Depois da Terra é a primeira parte de uma trilogia destinada a garantir que seu filho fique em cena pelos próximos anos (a irmã de Jaden, Willow, está sendo encaminhada para a outra área de atuação do pai, a música). O melhor que pode acontecer a ele, porém, é que o fiasco do filme frustre esses planos, e o livre de enfrentar as péssimas críticas acarretadas pelas más decisões paternas.

Isabela Boscov
Publicado originalmente na revista VEJA no dia 12/06/2013
Republicado sob autorização de Abril Comunicações S.A
© Abril Comunicações S.A., 2013

DEPOIS DA TERRA
(After Earth)
Estados Unidos, 2013
Direção: M. Night Shyamalan
Com Will Smith, Jaden Smith, Sophie Okonedo, Zoë Kravitz

2 comentários em “Depois da Terra”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s