Amaldiçoada

No Oeste, Dakota Fanning come o pão que o diabo amassou

Na igreja, de costas para o púlpito enquanto fala em linguagem de sinais com a filha pequena, a jovem muda Liz (Dakota Fanning) ouve pela primeira vez a voz do novo pastor (Guy Pearce), e seu semblante se transforma: é preciso fugir imediatamente, diz ela ao marido, um fazendeiro mais velho, viúvo da primeira mulher. O marido não compreende o desespero, nem quando ali mesmo, antes que os fiéis possam retornar para casa, uma mulher entra em trabalho de parto e Liz, que é a parteira local, perde a criança – ou, mais precisamente, escolhe perder a criança, para que a mãe sobreviva. Tornada ovelha negra do povoado do dia para a noite por incitação do pastor, Liz será a causa involuntária de várias desgraças. E, à medida que o filme retrocede no tempo, em capítulos que recebem nomes bíblicos, vê-se que o infortúnio vem de muito antes, e está sempre em seus calcanhares. Está, também, longe de terminar.

blogib_amaldicoada_mat2

Antes de mais nada, é bom esclarecer: apesar do título, Amaldiçoada, que ficou inédito no circuito nacional e há pouco entrou no NOW e em outras plataformas, não é um filme de terror, e sim mais um dos muitos faroestes revisionistas que vêm revigorando o gênero. A exemplo de A Salvação (na Netflix), estrelado por Mads Mikkelsen e dirigido pelo dinamarquês Kristian Levring, ou de Oeste Sem Lei (no NOW), com Michael Fassbender, do escocês John McLean, Amaldiçoada carrega nos simbolismos religiosos para inverter o retrato habitual do Oeste do século 19: não mais o lugar em que a civilização vai substituindo a selvageria, como se pintava na era de ouro do western, mas sim como o lugar em que uma violência permanente e sem freios avança junto com a fronteira. Da mesma forma, no faroeste contemporâneo as mulheres deixaram de ser o porto seguro dos homens, e agora aparecem como de fato eram – as vítimas mais frequentes e infelizes, embora não as únicas, desse clima de violência e lei incerta. Dakota Fanning, que está com 23 anos e vem retomando a carreira (na época de Guerra dos Mundos, em 2005, ela era a atriz-mirim obrigatória do cinema americano), dá uma bela performance como Liz, enquanto Guy Pearce pisa fundo na caracterização do pastor cheio de fogo e enxofre. Curiosadade: tanto Carice Van Houten quanto Kit Harington (a Melisandre e o John Snow de Game of Thrones) têm participações relevantes em dois segmentos do enredo.

blogib_amaldicoada_mat1

O mais interessante, porém, é mesmo a ambientação criada pelo diretor holandês Martin Koolhoven: nas cidades ou nas fazendas salpicadas nas pradarias e nas montanhas, os personagens tentam criar alguma ordem, mas o caos sempre emerge – nas mortes terríveis e inúteis, na lama da criação dos porcos, na neve que cobre tudo ou na secura do deserto, não há como vencer a precariedade da vida na fronteira. Enfim, volta e meia topo com alguém que torce o nariz para faroeste, mas insisto: quem não vê não sabe quanta coisa boa está perdendo.

blogib_amaldicoada_mat3


Trailer


AMALDIÇOADA
(Brimstone)
Estados Unidos/Holanda/França/Alemanha/Bélgica/Suécia/Inglaterra, 2016
Direção: Martin Koolhoven
Com Dakota Fanning, Guy Pearce, Kit Harington, Carice Van Houten, William Houston, Paul Anderson, Ivy George

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s