divulgação

Sr. Turner

A arte etérea de um homem bruto

No papel-título de Sr. Turner, filme do diretor inglês Mike Leigh que sai agora em DVD, Timothy Spall surge feio, atarracado, grosseiro, com dentes pavorosos: o homem é o inverso de sua arte.

A pintura de Turner é etérea, fugidia, arrebatadora; já o pintor, esse é, no desempenho glorioso de Spall, de uma fisicalidade bruta e intrusiva. Turner raspa as telas com suas unhas feiosas, farta-se com uma cabeça de porco, ronca, grunhe e resfolega, apalpa o seio da empregada sem pedir licença (e a empregada, lindamente interpretada por Dorothy Atkinson, olha para ele com devoção).

Turner_mat1Quando as filhas o visitam, ele age como se estivessem extraindo-lhe um dente. Com seu pai, contudo ele é só doçura. Ao conhecer Sophia Booth, uma viúva gordota e simples (e encantadora), ele diz que ela é uma mulher de uma beleza profunda. Não é um galanteio: Turner está olhando para ela como olha para o mundo, identificando algo de sublime onde outros só veem o banal.

Turner_mat2Fotografado de forma a reproduzir os estilos pictóricos cujo caudal alimentou Turner, o filme de Leigh é uma maravilha. Faz jus ao artista, e compreende o homem.

Isabela Boscov
Publicado originalmente na revista VEJA no dia 05/08/2015
Republicado sob autorização de Abril Comunicações S.A
© Abril Comunicações S.A., 2015

SR. TURNER
(Mr. Turner)
Inglaterra/França/Alemanha, 2014
Direção: Mike Leigh
Com Timothy Spall, Dorothy Atkinson, Marion Bailey, Paul Jesson

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s