divulgação

9 – A Salvação

Esperança, ainda que pequena

Na animação 9 – A Salvação, cabe a um minúsculo boneco de juta encontrar uma saída para um mundo pós-apocalíptico

divulgação

Um pequeno boneco feito de saco de juta, com alinhavos toscos que contrastam com suas elaboradas mãos metálicas, acorda para a vida em uma casa que é uma ruína, onde está completamente só, e nem sequer pode emitir uma exclamação, já que o aparato que lhe daria voz não chegou a ser instalado. A semelhança entre a apresentação de 9 – A Salvação e a de Edward Mãos de Tesoura não é coincidência. Tim Burton, que dirigiu aquela fábula já clássica sobre o garoto que ficou incompleto em razão da morte de seu inventor, é produtor desta animação. Mas, à sua sensibilidade sempre tão alerta para a tragédia da solidão e da diferença, junta-se aqui uma outra, igualmente singular, porém muito diversa – a do russo Timur Bekmambetov, diretor de Guardiões da Noite, Guardiões do Dia e O Procurado. As tragédias a que Bekmambetov é suscetível são de outra ordem: o totalitarismo e sua engrenagem devoradora, o medo, a violência que é a destruição do espírito e do mundo físico. Assim, ainda que o roteirista e diretor do desenho seja o estreante Shane Acker, a sombra que os produtores lançam sobre seu trabalho é longa: 9 – A Salvação trata não apenas de uma criatura mal compreendida que busca encontrar um lugar e uma missão para si – uma constante no cinema de Burton –, como da dificuldade de achar um lugar quando o mundo não é meramente hostil, mas brutalmente estéril, agressivo e distorcido, como gosta Bekmambetov.

divulgação

O boneco de número 9 descobrirá que é o último de uma série. Alguns dos que despertaram antes dele ainda estão vivos. Como 2, um gênio das ferramentas, que dá a 9 a fala e mostra a ele o planeta devastado em que, tão minúsculos e frágeis, eles têm de sobreviver – para logo ser arrebatado por um estranho híbrido de máquina e animal. O de número 1, que se autodesignou sacerdote e governador do pequeno grupo, é velho e acovardado; 8, um brutamontes, serve de guarda-costas; 6 está enlouquecido e desenha o mesmo desenho sem parar; e 5 é tímido, doce e submisso. Nenhum deles corresponde a um modelo em que 9 gostaria de se espelhar. E, ainda que sua juventude e impetuosidade venham a causar distúrbios terríveis, afinal é exatamente disso que esse bando exausto precisa, de alguma intrepidez e de uma nova perspectiva.

divulgação

É isso, também, que Shane Acker tem a oferecer: desenvolvido a partir de um curta-metragem também intitulado 9 e indicado ao Oscar em 2006, seu filme é tão idiossincrático quanto os de seus mentores. Mas não repete as peculiaridades deles, nem as reúne aleatoriamente em uma mesma história. Usa-as, sim, como plataforma para um experimento que, ainda que irregular – em especial no seu terço final –, é inovador e revigorante, do visual maravilhosamente tátil nas suas inúmeras e surpreendentes texturas (juta, estopa e malha são uma aposta no mínimo original) à ambição de seduzir crianças com um enredo pós-apocalíptico. Essa é a parte do plano que ele não consegue executar a contento: seu mundo em escombros é crível e lúgubre o bastante para convencer qualquer adulto do fim dos tempos, e portanto um tantinho persuasivo demais para as emoções de quem está começando agora.

Isabela Boscov
Publicado originalmente na revista VEJA no dia 07/10/2009
Republicado sob autorização de Abril Comunicações S.A
© Abril Comunicações S.A., 2009

9 – A SALVAÇÃO
(9)
Estados Unidos, 2009
Direção: Shane Acker
No original, com as vozes de Elijah Wood, Christopher Plummer, Jennifer Connelly, John C. Reilly, Martin Landau, Crispin Glover, Alan Oppenheimer, Tom Kane

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s