Arquivo da tag: Netflix

Na sueca “Young Royals”, da Netflix, um olhar revigorante

Excelente, a série sobre um príncipe da Coroa sueca que se apaixona por um colega de escola prefere personagens e relações à intriga

Continuar lendo Na sueca “Young Royals”, da Netflix, um olhar revigorante

“Céu Vermelho-Sangue” da Netflix: apertem os cintos e protejam o pescoço

Filme do alemão Peter Thorvath junta sequestro aéreo e vampirismo, e leva muito a sério a combinação inusitada

Continuar lendo “Céu Vermelho-Sangue” da Netflix: apertem os cintos e protejam o pescoço

“Rua do Medo 1994, 1978 e 1666”: o melhor fica para o fim

Baseada nos livros de R.L. Stine, de “Goosebumps”, trilogia de terror criada para a Netflix pela diretora Leigh Janiak começa no razoável e progride para o muito bom

Continuar lendo “Rua do Medo 1994, 1978 e 1666”: o melhor fica para o fim

“O Método Kominsky”: como ganhar a guerra perdendo todas as batalhas

Sem aquela hipocrisia de “melhor idade”, série com Michael Douglas e Alan Arkin faz um rol das agruras da velhice – e das alegrias de ainda estar vivo

Continuar lendo “O Método Kominsky”: como ganhar a guerra perdendo todas as batalhas

“Sweet Tooth”, da Netflix: uma fábula que já nasceu perfeita

Baseada em um quadrinho e dirigida pelo Jim Mickle de “Somos o que Somos”, série acerta de A a Z

Continuar lendo “Sweet Tooth”, da Netflix: uma fábula que já nasceu perfeita

“O Discípulo”: na Netflix, uma joia do novo cinema indiano

Do muito específico – as aspirações de um cantor de música clássica indiana em treinamento -, o diretor Chaitanya Tamhane tira uma história que ecoa em qualquer um , em qualquer lugar

Continuar lendo “O Discípulo”: na Netflix, uma joia do novo cinema indiano

“Halston”, na Netflix: Ewan McGregor salva a grife Ryan Murphy

Produtor finalmente acerta de novo com minissérie que resgata um nome icônico – mas quase esquecido – da moda

Continuar lendo “Halston”, na Netflix: Ewan McGregor salva a grife Ryan Murphy

Na Netflix, “A Mulher na Janela” quer ser Hitchcock. Falta muito

Elenco, diretor e roteirista do primeiro time não salvam da insignificância suspense em que todo mundo deu palpite — nenhum deles bom

Continuar lendo Na Netflix, “A Mulher na Janela” quer ser Hitchcock. Falta muito

“Passageiro Acidental”: o bom senso foi para o espaço

Depois do excelente “Ártico”, o brasileiro Joe Penna dá um passo atrás com esta ficção científica sem muita ciência

Continuar lendo “Passageiro Acidental”: o bom senso foi para o espaço

“Sombra e Ossos”, da Netflix: faltou rasgar a fantasia

Série baseada nos livros da americana Leigh Bardugo é bem produzida e, depois de um tempo, envolvente – mas não assombra

Continuar lendo “Sombra e Ossos”, da Netflix: faltou rasgar a fantasia