“Amor, Sublime Amor”: ombro a ombro com o clássico de 1961

Versão de Steven Spielberg para o libreto original da peça é ainda mais vibrante e urbana que o filme de Robert Wise e Jerome Robbins – e, à sua maneira, mais arrojada

Assista aqui a resenha em vídeo:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s